Por Mafalda Anjos

São tempos loucos estes, cheios de teorias da conspiração, em que os cientistas e os média de referência são postos em causa por políticos e pessoas com responsabilidades de liderança. É muito intrigante pensar que as sociedades evoluem - e supostamente também o conhecimento -, mas que hoje o saber, a ciência e a razão valem de pouco num mundo polarizado pelas redes sociais, em que tudo é binário, a preto ou branco. Como se o mundo não tivesse mil gradações de cores, e os problemas com que nos deparamos não fossem mais complexos, cheios de nuances várias e, por vezes, com ramificações e contornos impercetíveis para o comum dos mortais.

Neste mundo a preto e branco, há um tema que, por incrível que pareça, divide as hostes: as alterações climáticas e a defesa do ambiente e do planeta. Decorre uma espécie de campeonato: há os que acreditam e os que não acreditam. Como se acreditar na ciência fosse um ato de fé, e os milhares de estudos e todas as consequências que conseguimos ver a olho nu por esse mundo fora não tivessem qualquer validade.

Pois bem, a PRIMA não pode ficar à margem desta discussão. A PRIMA não tem dúvidas de que o clima do planeta está a mudar, de que as alterações chegaram a um ponto insustentável, e de que é preciso mudar práticas e modos de vida para que a nossa sobrevivência como espécie a longo prazo seja viável. E é preciso fazê-lo o quanto antes, porque senão será tarde demais. E os efeitos começarão a sentir-se não daqui a muitos anos: as próximas gerações, dos nossos filhos, netos e bisnetos, já vão sofrê-los na pele.

Este é o momento. A pandemia obrigou-nos a mudar hábitos de um dia para o outro. Obrigou a adaptações várias, a mudanças nas cadeias de produção e distribuição e a alterações de comportamento que não imaginávamos possíveis há seis meses. Façamos dela agora um instrumento do bem. Aproveitemos para regressar mais verdes, mais ecológicos, mais solidários com os outros e com quem virá depois de nós.

Esta é a altura de o fazer. E a PRIMA nesta edição mostra como. Reunimos números, factos, a melhor ciência, os protagonistas da mudança e muitas novas marcas e pequenos e grandes projetos que estão a trabalhar no sentido certo. Obrigada a todos eles por nos inspirarem um bocadinho no dia a dia a fazer melhor.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.