Na hora de viajar, a escolha do voo é um dos passos mais importantes. Na lista de requisitos de cada um podem estar a companhia aérea, a localização do aeroporto do destino, o número de escalas e, claro, o preço.

Há quem prefira as chamadas companhias de bandeira e há quem vá apenas pelo preço mais baixo, normalmente das low-cost, embora esta não seja uma verdade insofismável. A antecedência da compra é, muitas vezes, o segredo para voar sem gastar muito. Mas não é o único.

Siga os conselhos dos especialistas no assunto tendo em conta os preços mais baixos, as companhias mais baratas e os melhores meses para viajar.

Melhor altura para comprar

Não é vulgar encontrar voos baratos de última hora. A maioria das companhias aéreas, mesmo as de baixo custo, normalmente aumenta os preços umas semanas antes da partida porque sabem que os passageiros de última hora são menos cuidadosos com a tarifa, isto porque geralmente viajam em negócios ou devido a uma emergência.

A melhor altura para fazer reservas é entre seis a 12 semanas de antecedência. No entanto, isso varia muito de acordo com a companhia, a rota e a temporada, o que dificulta a previsão. Tudo é baseado na oferta e na procura. Se determinada rota tiver muita procura o preço não baixa.

A partir de Portugal, as reservas para a Europa com 73 dias de antecedência são as mais baratas (menos 56% em média). O dia mais barato para viajar é a sexta-feira, sendo que o domingo é o mais caro. No que diz respeito à hora do voo a poupança é maior se for à noite, a altura proibitiva é ao meio-dia.

Já para o resto do mundo, consegue os melhores preços, a partir de Portugal, com 57 dias de antecedência, se reservar para uma quinta-feira e, de preferência, à tarde.

Alguns exemplos práticos

1. Lisboa - Londres

Se comprar 60 dias antes obtém o melhor preço. A altura do ano mais cara para viajar é o mês de julho (€228 em média), já a mais barata é novembro (€100). A quinta-feira é o dia mais em conta para ir para terras de sua majestade (€144) e o domingo o dia que deve evitar (€198). De manhã o bilhete fica-lhe, em média, por €159, ao meio-dia €183, à tarde €157 e à noite €137. A Eurowings é a companhia mais em conta, seguida da Wizz Air UK.

2. Porto - Londres

O mês mais caro continua a ser julho (€179) e o mais em conta novembro (€89). A reserva mais barata é à sexta-feira (€120) e a mais cara o domingo (€157). Já a melhor hora para voar é à tarde (€119). A dica dos 60 dias é válida aqui. A Eurowings é a mais barata, seguida da Ryanair.

3. Lisboa - Paris

O mês mais barato é fevereiro (€99) e o mais caro agosto (€199). O dia mais em conta é a sexta-feira (€127) e menos o domingo (€164). A manhã e a tarde são as melhores altura do dia (€134). A dica dos 60 dias também é válida aqui. A Eurowings é a mais barata, seguida da Ryanair.

4. Porto - Paris

Fevereiro é mais barato (€87) e agosto mais caro (€175). À sexta-feira fica-lhe por €105 e ao domingo €132. À tarde é mais barato (€110), mas a variação ao longo do dia é de €6 no máximo. Já sabe, 60 dias antes é o melhor. A Ryanair fica em primeiro lugar nos preços e a TAP em segundo.

5. Lisboa - Nova Iorque (aeroporto JFK)

O mês mais barato é novembro (€385) e o mais caro julho (€677). Os dias mais em conta são a quarta e a quinta-feira (€477) e menos o domingo (€547). Ao meio-dia e à noite são as melhores altura do dia (€466). A dica dos 60 dias também é válida aqui. A EasyJet e a Norwegian são as companhias mais baratas.

6. Porto - Nova Iorque (aeroporto JFK)

Outubro e novembro são os meses mais baratos (€408). Os dias mais em conta são a quarta e a quinta-feira (€454) e menos o domingo (€547). A parte da manhã é 20% mais barata do que o resto do dia (€470). Já sabe, 60 dias fica mais barato. A Air Europa e a Finnair são as companhias mais baratas.

Vendas flash

Às vezes é só uma questão de timing. Hoje um voo pode custar €400 e amanhã estar a €200. A razão é a previsão de vendas que as companhias fazem para determinada rota quando põem os bilhetes à venda, a antecedência pode ser de 11 meses. Se, passados cinco meses, as vendas não corresponderem às expetativas é feita uma venda flash (instantânea) durante alguns dias e os preços podem cair até 60%. Quando a procura estiver nivelada aumentam novamente.

Use os motores de busca como o Momondo ou Google Fligts (agregadores de tarifas) para rastrear os preços.

Os agregadores nem sempre têm os melhores preços

É verdade que sites como o Rumbo, Skyscanner ou Momondo nos dão uma valiosa indicação sobre a tarifa do bilhete que queremos comprar, mas nem sempre são a melhor escolha. Se funcionam na perfeição com algumas companhias aéreas, com outras nem tanto. Uma companhia de bandeira pode oferecer um preço melhor no seu próprio site do que uma low-cost. O melhor é sempre verificar.

Mantenha as suas pesquisas em segredo

A Internet, como se sabe, tem o melhor e o pior. No caso das pesquisas de voos, o pior dá pelo nome de “cookies” (aquelas pequenas “etiquetas” de software que ficam armazenadas no seu computador através do navegador, retendo a informação relacionada com as suas pesquisas). Expliquemos: o preço de um voo não aumenta assim de um momento para o outro se o pesquisar mais do que uma vez. O que acontece é que, baseadas nas “cookies” deixadas no seu navegador, os preços aumentam mesmo quando determinada rota é pesquisada várias vezes. É uma forma de o site o tentar pressionar para fazer a reserva antes que aumente mais.

O que fazer? Pesquisar sempre de forma incógnita. Todos os navegadores dão essa possibilidade e, desta forma, as suas pesquisas não são rastreadas e consegue sempre ver os voos mais baratos.

Fontes: Estudo Anual de Voos da Momondo, Jack’s Flight Club, Thrifty Nomads