Quando os egípcios começaram a arte da cestaria estavam longe de imaginar que, milhares de anos mais tarde, estas peças estariam mais na moda do que nunca. Nos anos 60 foi com a ajuda da atriz e cantora Jane Birkin que os cestos passaram a ser vistos como um objeto de moda, com a sua utilização massificada nas ruas francesas.

Na passagem de século surgiram cestos com adereços e padrões diferentes e muitas marcas internacionais adaptaram esta peça aos seus estilos. Também várias marcas portuguesas começaram a reinventar as tradicionais cestas e muitas delas tiveram, quase de imediato, sucesso internacional: por exemplo, a empresa algarvia Companhia das Cestas esteve nas bocas do mundo em 2016, depois de Michelle Obama utilizar um dos seus modelos, personalizado com as respetivas iniciais.

Nomes nacionais como Victória Handmade - com modelos de ombro, mochilas e malas de mão com várias cores - e Toino Abel - cestas feitas à mão na aldeia da Castanheira, em Alcobaça - também chegaram rapidamente ao mercado europeu e mundial.

Mas, este ano, a tendência não fica apenas pelos cestos. Várias marcas internacionais como a Ralph Lauren apostaram em peças em verga para os seus desfiles da coleção primavera/verão, onde o calçado e os acessórios se destacam. Aproveite algumas das nossas sugestões, antes que a temporada acabe.